quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Torna-te uma Estrela de Cinema #20


Todas temos uma Bridget Jones dentro de nós, à espreita para sair (ou até já cá fora, solta, leve, dispostíssima a fazer asneiras). Aquele lado B (ou lado lunar, como diria o Rui Veloso) em que dizemos tudo o que nos passa pela cabeça, estamos em modo Love-me-or-hate-me-who-the-f*ck-cares? e temos a sensibilidade de um serial-killer e a subtileza de um elefante. 

Eu compadeço-me com a Bridget, palavra! É quase um dom estar constantemente no lugar errado à hora errada, a fazer disparates, a ser-se inconveniente, a dizer as coisas mais improváveis e inapropriadas, SEMPRE com um sentido de humor duvidoso, cáustico e aborrascado.
Daqueles dons que ninguém queria ter mas hey, não estamos aqui para julgar.



Até porque, e apesar de ser uma desbocada-inconsequente-desajeitada fonte de problemas consegue sempre, de alguma maneira, ter elementos do sexo oposto a disputar o seu afecto...
De ar afável, fofinho e substancialmente menos bochechudo que nos filmes anteriores, a produtora de tv tem atributos para atrair não só um Mr. Darcy como também um McDreamy (e desta vez sem meter o sacaninha do Hugh Grant ao barulho!).
É que nem é só um bonitão, são logo dois de uma vez...
Se eu estivesse no lugar dela fazia um plano semanal: segundas, quartas e sextas para o advogado comportadinho que beija bem comó caraças e terças, quintas e sábados para o guru dos encontros amorosos com o cabelo mais despenteadamente sexy de que há memória.
Os domingos, esses, dedicava-os aos Ben&Jerry's da vida.


Qual será a artimanha, hã? Há ali um segredo qualquer...
Será das suas pestanas longas e farfalhudas?
Pele impecavelmente resplandecente?
Sobrancelhas cuidadosamente delineadas?
Maçãs do rosto rosadinhas?

Cremos ter descoberto o seu truque, a sua táctica, o seu às na manga. 
Investigamos até à exaustão, contratamos detectives privados, metemos o Sherlock Holmes a trabalhar para nós, estivemos de binóculos em riste em cima de uma árvore em frente ao seu apartamento e, por fim, descobrimos a pólvora.

Que blush seria capaz de conceder tão saudável aspecto?
Que primer conseguiria encerrar em si a fonte da eterna juventude?
Que máscara conferiria, sem pestanejar, o efeito "de-certeza-que-essas-pestanas-são-reais"?
Que gel seria capaz de desenhar umas sobrancelhas como se de um belo quadro se tratasse?
Quem mais seria capaz de tão improváveis milagres?

Só nos ocorria UM nome. 
O Santo Graal das mulheres com graça, descontraídas e cosmopolitas.
BENEFIT.

Vestimos a nossa gabardine mais discreta, colocamos os nossos óculos mais escuros e fomos até Londres procurar a cabine telefónica mais insuspeita. De lá entramos - anonimamente, claro! - em contacto com a marca de maquilhagem mais espectacular de todos os tempos e graças a técnicas de interrogação avançadas (thanks Jack Bauer!) conseguimos confirmar as nossas suposições.



Bridget só poderia estar a usar Cha Cha TintThey're RealThe POREfessional e Gimme Brow.
Assim, e no âmbito do lançamento de «O Bebé de Bridget Jones» nas salas de cinema portuguesas, chantageamos pedimos ajuda à Benefit Cosmetics para copiar o fantástico look da personagem criada por Helen Fielding.

Querem então tornar-se umas Bridgets?
Basta preencher o formulário abaixo. Temos para oferecer um kit composto por estes maravilhosos produtos.
Boa sorte!

E para a próxima, Bridget Jones , sweety, considera a abstinência, ok? Se calhar não era assim muito mal pensado...


TERMINADO
Nome da premiada AQUI.
Enviar um comentário