sábado, 29 de novembro de 2014

Lars von Trier não sabe se voltará a filmar


O cineasta dinamarquês Lars von Trier confessou em entrevista publicada este sábado no jornal "Politiken" que recorreu a bebidas alcoólicas e a narcóticos para escrever a grande maioria dos seus filmes e que, agora que os deixou, teme não ser capaz de continuar a fazer cinema: "Não sei se poderei voltar a realizar... e isso atormenta-me!"

Mais calmo e ponderado do que o habitual, distante daquele que se tornou "persona non grata" para os directores do Festival de Cinema de Cannes após os controversos comentários sobre a sua simpatia por Hitler durante a edição 2011 do certame, o realizador de 58 anos revelou que a sua dependência do álcool - segundo o próprio, "a melhor droga do mundo" - começou em 1996, durante a rodagem de "Ondas de Paixão" e que, desde então, começou a recorrer diariamente a um "cocktail composto por uma garrafa de vodka e drogas psicotrópicas" para escrever. Porém, o co-fundador do movimento "Dogma" assegura que já não ingere qualquer tipo de estupefacientes ou bebidas alcoólicas há cerca de três meses, mostrando-se, a terminar, preocupado com as repercussões que esta decisão poderá ter na sua capacidade criativa: "Não me recordo de alguém ter feito algo de relevo após deixar o mundo das drogas e/ou do álcool. Aliás, quem quereria saber de uns Rolling Stones sem a bebida ou de um Jimi Hendrix sem a heroína?”.

Apesar das dúvidas que o assolam, von Trier admite que está a estudar a possibilidade de rodar uma série televisiva em inglês, mas que por enquanto só tem uma ideia para o título: "The House that Jack Built".
Enviar um comentário