segunda-feira, 14 de outubro de 2013

REVIEW: "Os Contos de Beedle, o Bardo"


FICHA TÉCNICA:
Autora: J.K. Rowling
Editora: Editorial Presença
Número de páginas: 110
P.V.P. - 10,09€
(No entanto, esta semana no site da Editorial Presença há uma promoção especial com este livro e um outro que contém uma entrevista a J.K. Rowling intitulado "O Mundo de J. K. Rowling - A Criadora de Harry Potter" por apenas 8,90€... e com portes gratuitos!)

SINOPSE OFICIAL:
Este livro oferece-nos cinco histórias de feitiçaria, cada uma com a sua magia muito própria, que prometem deliciar, divertir e até arrepiar os leitores. Cada conto é acompanhado de notas da autoria do Professor Albus Dumbledore, que agradarão tanto a Muggles como a Feiticeiros. O Professor reflecte sobre as questões morais levantadas nos contos, ao mesmo tempo que revela pequenos detalhes sobre a vida em Hogwarts. Este é um livro mágico, único e intemporal, escrito e ilustrado por J.K. Rowling, autora da famosa série Harry Potter.

O VEREDICTO:
Estes contos representam para feiticeiros o mesmo que as fábulas de Esopo e de La Fontaine significam para nós, meros Muggles.


São pequenas histórias que nos transportam para a terra da magia e nos falam de coragem, compaixão, arrependimento e generosidade mas também de crueldade, indiferença e arrogância.
É um livro muito pequenino e que se lê com muita facilidade (com a ajuda das notas de Dumbledore, que nos explica aqueles termos que só o pessoal de Hogwarts conhece).

O primeiro conto fala-nos de como, por vezes, os castigos nos podem abrir os olhos.
(E também que uma pessoa privada de sono fica transformada!)


O segundo ensina-nos que o que mais desejamos pode, de facto, estar já à nossa frente.


O terceiro (e mais triste) deixa-nos a pensar na importância dos sentimentos, na soberba e em como, por vezes, nos julgámos superiores aos demais.


O quarto fala-nos das ideias estapafúrdias que às vezes nos surgem e em como a ganância nos pode cegar.


O quinto (e talvez o mais sinistro) já nos era bastante familiar: é o conto dos "Três Irmãos", o qual fora apresentado em "Harry Potter e os Talismãs da Morte".
Este fala-nos da extrema importância de se ter um manto da invisibilidade. Ou não, se calhar não era bem isto...


O bom deste género textual é que cada qual pode tirar as suas próprias ilações. Há pessoas que lêem "A Gata Borralheira" e sonham com um príncipe encantado e outras que só conseguem encontrar na história dos Grimm uma alusão a um fetichismo podológico qualquer...

O que interessa a Rowling é que se tire dos contos uma lição, seja ela qual for.
E sendo este um livro cujos lucros revertem para uma boa causa creio que é mesmo um daqueles que ficam bem em qualquer estante.

Enviar um comentário